Portal da Cidade Vassouras

ELEIÇÕES 2022

André Ceciliano empata tecnicamente com Romário revela pesquisa

Candidato ao governo do Rio, Cláudio Castro mantém liderança

Publicado em 22/09/2022 às 16:00
Atualizado em

André Ceciliano empata tecnicamente com Romário revela pesquisa (Foto: Reprodução TRE MS)

A pesquisa de intenção de voto divulgada nesta quinta-feira, 22, pela Intelligence Pesquisa e Comunicação, mostra que o governador do Rio e candidato à reeleição Cláudio Castro (PL) segue mantendo a liderança, com 29% das intenções de voto espontâneas, quando o entrevistador não apresenta as opções ao entrevistado. Em segundo lugar aparece o candidato do PSB, Marcelo Freixo, com 18% das intenções de voto, seguido por Rodrigo Neves, do PDT, com 3%. Cyro Garcia (PSTU) e Paulo Ganime (Novo) aparecem empatados com 1%. Os demais candidatos não pontuaram na pesquisa. Brancos e nulos somaram 15%. Não sabem ou não responderam ficou em 33%.

Na pesquisa estimulada, em que os entrevistados recebem os nomes dos candidatos, Castro sobe para 38%, mantendo a liderança. Marcelo Freixo recebe 25% das intenções de voto, seguido por Rodrigo Neves, com 6%; Cyro Garcia, com 3%; Paulo Ganime, com 2%; e Eduardo Serra, com 1%. Votos brancos e nulos somam 16%, enquanto o porcentual de pessoas que não sabem ou se recusam a responder cai para 9%.

O candidato Wilson Witzel (PMB) não apareceu nas pesquisas por ter tido sua candidatura indeferida pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ).

Avaliação da atual gestão

O levantamento também quis saber como os eleitores fluminenses avaliam a atual administração. O governo de Cláudio Castro é considerado ótimo por 12% dos entrevistados, enquanto 24% avaliam como bom. Outros 34% acham que a gestão foi regular, 14% dizem que foi ruim e 9% avaliam como péssima. O porcentual de entrevistados que não souberam ou não quiseram responder foi de 7%.

Senado

A surpresa ficou por conta da pesquisa de intenção de voto estimulada para o cargo de senador. O candidato Romário (PL) segue na liderança, com 27%. Mas em uma possível reviravolta, o candidato do PT, André Ceciliano, aparece em segundo lugar com 12% das intenções de voto e na frente de Alessandro Molon (PSB), com apenas 9%. Na sequência, aparecem Clarissa Garotinho (PROS) e Cabo Daciolo (PDT), ambos com 6%. Brancos e nulos somam 14% e o número de entrevistados que não souberam ou não quiseram responder chegou a 26%.

O instituto também quis saber como seriam as intenções de voto dos eleitores para os postulantes ao Senado com o apoio dos candidatos à Presidência da República e ao governo do estado. Com o apoio do presidente Jair Bolsonaro (PL), o candidato Romário se mantém estável, com 26% das intenções de voto. Já André Ceciliano, com o apoio de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), sobe para 24% e empata tecnicamente com Romário. A candidata Clarissa Garotinho também sobe com o apoio do presidente Jair Bolsonaro, aparecendo com 14% das intenções de voto. Com o apoio de Marcelo Freixo, o candidato Alessandro Molon permanece tecnicamente estável, com 7%. O mesmo acontece com Cabo Daciolo que, diante do apoio de Ciro Gomes (PDT), mantem o percentual de 6%. Brancos e nulos somam 13%. Não sabem ou não responderam ficou em 10%.

Para a professora de Ciência Política da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e do programa de pós-graduação em Ciências Sociais da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (PPGCS), Mayra Goulart, o fato de ter o nome ligado a um candidato de grande popularidade pode, sim, levar a uma transferência de votos. “É o que a gente chama de efeito coattail, que é a transferência de votos de um candidato de uma instância para outra, como um candidato a presidente transferindo prestígio a um candidato ao governo, ao Senado, ao Congresso”, explica Mayra.

Coordenadora do Laboratório de Partidos Eleições e Política Comparada (LAPPCOM), Mayra destaca que essas pesquisas feitas com muita antecedência não são muito significativas, uma vez que o voto para o Legislativo só é realmente definido na reta final da campanha. “O que essa pesquisas mostram é o recall dos candidatos, quais são mais conhecidos em relação aos outros. Mas esse conhecimento não vai necessariamente se converter em um resultado eleitoral, não significa que o candidato mais conhecido vai ser mais bem votado que o outro”, avalia a especialista.

Com informações d’O Dia:

https://odia.ig.com.br/eleicoes/2022/09/6490501-andre-ceciliano-empata-tecnicamente-com-romario-segundo-pesquisa-da-intelligence-divulgada-nesta-quinta-feira.html



Fonte:

Deixe seu comentário