Portal da Cidade Vassouras

Alunos

Escolas da região se destacam Olimpíada Brasileira de Física

Com destaque especial para Valença e Resende, que ajudaram a rede a dobrar o número de medalhas entre 2016 e 2017: de dez para 20 conquistas.

Postado em 03/06/2018 às 14:03 |

Alunos de Resende e Valença fizeram bonito na competição (Foto: Diário do Vale)

Sul Fluminense – Alunos da rede estadual se superaram no número de medalhas obtidas na Olimpíada Brasileira de Física das Escolas Públicas. Com destaque especial para Valença e Resende, que ajudaram a rede a dobrar o número de medalhas entre 2016 e 2017: de dez para 20 conquistas.

O quantitativo é um recorde, sendo o maior registrado em todas as edições da Olimpíada, que é realizada desde 2012. A Secretaria de Educação também registrou que o número de estudantes premiados dobrou, saltando de oito para 17 campeões. Das escolas participantes, o Colégio Estadual Arnor Silvestre Vieira, em Valença, no Sul Fluminense, foi destaque com sete medalhas de ouro, seis de prata e uma de bronze.

Em Magé, na Baixada Fluminense, alunos do Colégio Estadual Mauá conquistaram duas de ouro nas etapas estadual e nacional. Também de Valença, estudantes do Colégio Estadual Doutor Guilherme Milward ganharam medalha de prata.

Em Resende, o Colégio Estadual Antonio Quirino foi premiado com ouro e bronze. A Baixada Fluminense teve como destaque o Colégio Estadual Pedro Álvares Cabral, em São João de Meriti, com uma medalha de prata e, também, o Colégio Estadual Professora Evangelina Soares de Moura, em Nova Iguaçu, que recebeu várias menções honrosas.

A estudante Maria Eduarda Dias Monteiro, 15 anos, do Colégio Estadual Arnor Silvestre Vieira, em Valença, conquistou medalhas de ouro e prata nas etapas estadual e nacional, respectivamente.

– Participar dessas competições abre novas portas, mas para ter bons resultados é preciso ter atenção grande e manter o foco.

O estudante Caio Diniz Galvão, do Colégio Estadual Mauá, em Magé, foi medalhista de ouro nas etapas nacional e estadual.

– Meu professor de Física me incentivou. Estudei muito e tive bons resultados – explicou o estudante.

O secretário de Educação, Wagner Victer, atribui os avanços dessa edição ao trabalho conjunto das equipes pedagógicas.

– Incentivamos a participação das escolas e percebemos o aumento do engajamento. O trabalho integrado na escola estimula o interesse pelas Ciências Exatas e abre caminho para revelar novos talentos – disse Victer.

Deixe seu comentário